Engenharia do papel - parte I

Adaptação em pop-up de Alice no País da Maravilhas. Mostra como os pop-ups podem se tornar complexos
Apesar do título, esse post não é sobre o profissional que trabalha diretamente na composição de papel e celulose, mas sobre o complexo trabalho de manipulação do papel, como podemos ver nos livros pop-ups.

Os engenheiros do papel acabam, muitas vezes, se tornando autores visuais, planejando o conceito do livro e trabalhando em conjunto com o ilustrador e o escritor.

O desenvolvimento desses projetos costuma ser bastante demorado, na base da tentativa e erro, incluindo a elaboração de diversos protótipos, até conseguir obter o resultado desejado. Conforme adquire experiência, o engenheiro do papel se familiariza com as diferentes dobras e com as plantas dos objetos tridimensionais. 

Os pop-ups aproveitam a energia cinética do movimento do papel para criar modelos que saltam das páginas. O engenheiro do papel deve ponderar a complexidade dos pop-ups com a realidade da produção pois quanto maior o número de componentes e pontos de colagem, maior será o o tempo gasto, o custo de acabamentos e a necessidade de técnicos especializados.

As dobraduras mais simples são as estruturas a 90º, dobras desenvolvidas com abas, cubos e cilindros usando a dobra 180º, volantes e rotação de superfície, linguetas "pull tabs", etc.(em breve farei um post explicando cada uma delas)
 

Comentários

  1. Olá, gostaria de saber se você possui contato de profissionais dessa área aqui em São Paulo, pois preciso desenvolver um trabalho de Pop-up book. Caso você possa me dar uma orientação, me envie um e-mail para edufernandes@gmail.com

    ResponderExcluir
  2. Olá, Sou da Empresa YURIGAMI - poesias em papel que dá cursos e propõe
    projetos na área: www.yurigami.com

    ResponderExcluir
  3. Trabalho com convites livros em engenharia de papel e já fizemos livro tecnico de podologia em pop up. www.dipp.com.br ou www.convitesdipp.cpm

    ResponderExcluir

Postar um comentário