Joaquín Torres García na Pinacoteca de SP

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

A Pinacoteca do Estado de São Paulo apresenta a exposição Joaquín Torres García: Geometria, Criação, Proporção; com cerca de 150 obras, entre pinturas, aquarelas, desenhos, afrescos, colagens, objetos e documentos, todos realizados entre 1913 e 1943. 

Torres Garcia (Montevidéo, Uruguai, 1874-1949) é um dos mais expressivos artistas latino americano da primeira metade do século passado. Ainda na adolescência mudou-se para Barcelona, onde aperfeiçoou o aprendizado da pintura. Também morou na França, Inglaterra e nos Estados Unidos. Em suas obras é possível ver esse aspecto itinerante e, após conhecer Piet Mondrian, na década de 1920, podemos ver obras com o caráter mais construtivista, na qual mistura as formas geométricas típicas de sua época a elementos primitivos da arte pré-colombiana.

Onde:  Pinacoteca do Estado de São Paulo (Praça da Luz, 2, São Paulo - tel 11 3324-1000)
Quando:  terça a domingo e feriados das 10h00 às 18h00. A bilheteria fecha meia hora antes.
Quanto: R$ 6 e R$ 3 (estudantes, menores de 10 e acima de 60 anos). Aos sábados, gratuito.
Mais informaçõeshttp://migre.me/6gbAC

A brasilidade das xilogravuras de J. Borges

sexta-feira, 25 de novembro de 2011


José Francisco Borges, mais conhecido como J. Borges, nasceu a 20 de dezembro de 1935, no município de Bezerros, Pernambuco, onde deu início a sua vida artística e reside até hoje, escrevendo, ilustrando e publicando os seus folhetos.

Em seu ateliê, esse pernambucano já fez muitas obras que dividiram espaço no Museu do Louvre com Leonardo da Vinci e Botticelli. Muitos ainda não sabem mas ele é um dos artistas folclóricos mais celebrados da América Latina, percorreu 20 países da Europa e já foi tema de reportagem do New York Times. Além disso, teve um lote de suas xilogravuras arrematado por US$ 30 mil num leilão nos Estados Unidos. O dinheiro, no entanto, não foi para o artista. Ficou com um colecionador americano que garimpa exemplares raros de obras folclóricas.

As conquistas de J. Borges são uma grande vitória para um sertanejo vindo de um ambiente de dificuldades e pobreza. Filho de agricultores, aos 8 anos já trabalhava na roça e foi para a escola apenas aos 12, mas a frequentou somente por dez meses. Já foi marceneiro, mascate, pintor de parede e oleiro. Aos 20, vendia cordéis nas feiras e, em 1964, publicou sua primeira obra, que vendeu 5 mil exemplares. Apesar disso, sua principal arte não é o texto e sim a xilogravura. As obras chegaram até o escritor Ariano Suassuna, que virou seu padrinho. Assim, os trabalhos passaram a circular nos meios acadêmicos e artísticos, que antes pouco valorizavam a xilogravura. 


Los Pantones

quarta-feira, 23 de novembro de 2011


Para quem não sabe, a Pantone não é uma marca de tintas. Apesar de ser famosa pela “Escala de Cores Pantone”, ela é uma empresa que foi fundada em 1962 em New Jersey, Estados Unidos. Inicialmente fabricava cartões de cores para companhias de cosméticos e atualmente atua nas áreas de artes gráficas, moda, plásticos, arquitetura, pintura, desenho industrial etc.

Mas a grande ideia foram os produtos criados inspirados no sistema de cores, que é catalogado em códigos. Eles podem ser comprados no site da W2, que, infelizmente, não faz entregas no Brasil. Mas existem vários sites brasileiros espalhados por aí que estão revendendo alguns produtos, o que pode ser uma boa solução!
Update: Também tem o Hotel Pantone - dica da Júlia Tomie

Tipografia animada

terça-feira, 22 de novembro de 2011

Já desenhou letras na água e observou o comportamento da tinta? Pois foi exatamente essa experiência que o artista russo Ruslan Khasanov fez e em cima dela criou uma série de gifs animados que mostram as letras se dissolvendo. O resultado é parecido com o da fumaça se desfazendo no ar e possui um ótimo efeito estético. Divirtam-se 







Exposição - Presságios

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Bruno Pedrosa no Ceará para sair um pouco do eixo Rio-São Paulo
No dia 20 de outubro, Bruno Pedrosa lançou a exposição Presságios, composta por pinturas e desenhos abstratos.

O artista nasceu no município de Cedro, no ano de 1950 e desde jovem demonstrou interesse pela arte. Iniciou sua atividade expositiva em 1967, com uma exposição pessoal no Museu de Arte Contemporânea de Olinda, e em 1968 transferiu-se para o Rio de Janeiro, onde se formou em Belas Artes, Arqueologia e Filosofia pela UFRJ.

Em 1970, expôs pela primeira vez no exterior, na Galeria New Forms de New York e na década de 1980 seguiu em direção a abstração e nos anos 90, transferiu-se com a família para a Europa e prosseguiu sua pesquisa sobre a cor explorando as características que oferecem os materiais como o vidro, o bronze, o papel, o ferro e o mármore.

Nos últimos dez anos, Pedrosa recebeu diversos reconhecimentos institucionais. Seus trabalhos figuram em coleções públicas e privadas, como o Museu Nacional de Belas Artes do Rio de Janeiro, o MASP em São Paulo, o Corning Museum em New York, o Ebeltoft na Dinamarca, Musei Vaticani em Roma, o Lucca Center of Contemporary Art em Lucca, o Jan Van der Togt na Holanda, o MAVA em Madri e outros. Reside desde 1990 em Bassano del Grappa, Itália.

Onde:  Espaço Cultural Unifor Anexo - Av. Washington Soares, 1321- Bairro Edson Queiroz - Fortaleza - Ceará - Tel. (85) 3477-3319
Quando: 21 de outubro a 18 de dezembro de 2011. De terça a sexta, das 8h às 18h, e aos sábados e domingos, das 10h às 18h
Quanto:
Entrada gratuita | Estacionamento no local
Mais informações: http://migre.me/6b8Yg

Twist fotográfico!

quinta-feira, 17 de novembro de 2011


Estas montagens foram feitas pelo talentoso fotógrafo Nicholas Kennedy Sitton. Ele fez a série quando se mudou para São Francisco, nos EUA e procurou captar nas manipulações de imagem a emoção e a desorientação que sentiu na nova cidade. Sentimentos estes muito comuns não apenas em épocas de mudanças físicas mas também quando um ciclo de nossas termina e outro começa. O resultado é uma distorção autêntica e uma São Francisco surreal, mas a ideia passadas nas fotografias poderia ser em qualquer outra parte do planeta.


Dica da Bruna Sanches

[OFF] Campanha Papai Noel dos Correios 2011

Clique para saber mais

Exposição - Oswald: o culpado de tudo


Desde o dia 27 de setembro, o Museu da Língua Portuguesa está com uma nova exposição temporária.  Desta vez, o tema é obra do escritor Oswald de Andrade. A frase “Direito de ser traduzido, reproduzido e deformado em todas as línguas”, escrita pelo escritor em 1933 no verso da folha de rosto da edição original de “Serafim Ponte Grande”, foi o ponto de partida para a realização da exposição. 
Em “Oswald de Andrade: o culpado de tudo”, o público poderá conhecer melhor um dos criadores da Semana de Arte Moderna. A curadoria é de José Miguel Wisnik, com a curadoria-adjunta de Cacá Machado e Vadim Nikitin, e consultoria de Carlos Augusto Calil e Jorge Schwartz. O projeto expográfico é de Pedro Mendes da Rocha.
A exposição contemplará três dimensões de leitura: poética, Histórico-biográfica e filosófica. Essas dimensões não devem ser entendidas como “partes” em que se divide a exposição, mas como níveis de manifestação da vida-e-obra que se articulam de maneira inseparável no processo expositivo.

Onde: Museu da Língua Portuguesa - Praça da Luz, s/nº Centro - São Paulo – (11) 3326-0775  museu@museulp.org.br
Quando: de 27/09/2011 a 30/01/2012. terça-feira a domingo, das 10h00 às 18h00, sendo que a bilheteria fecha às 17h00
Quanto: R$ 6 (aos sábados a entrada é gratuita)
Mais informaçõeshttp://www.museulinguaportuguesa.org.br/exposicoes.php

emfechamento

quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Em fechamento de TCC. Em breve retomaremos a programação normal =)
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...