Tipos de impressão - parte I: Offset

domingo, 15 de janeiro de 2012


Atualmente, existem diversos métodos de impressão na indústria gráfica e para escolher qual deles é o ideal para o seu trabalho é importante levar em conta os seguintes fatores:
  • Qualidade de impressão;
  • Tiragem;
  • Verba;
  • Tempo de execução;
  • Tipo de material e formato de suporte


Neste primeiro post sobre tipos de impressão vamos falar do sistema offset


A evolução da Litografia
O offset é um método de impressão que não apresenta nenhum tipo de relevo e é derivado de um processo antigo chamado litografia (método que se utilizava de uma matriz de pedra polida pressionada contra o papel, com os elementos para reprodução registrados na pedra por substâncias gordurosas). Além disso, o offset foi descoberto "por acaso" pelo americano Rubel, em 1904, que deixou rodar uma máquina litográfica sem papel, fazendo com que a imagem fosse transferida para o cilindro de borracha. Quando o papel foi colocado, a impressão aconteceu dos dois lados, sendo que o lado da borracha ficou mais nítido.
Após essa descoberta, muitos estudos foram feitos e novas tecnologias foram implantadas nesse método de impressão. 
Com o desenvolvimento das chapas de impressão de alumínio fotossensíveis, o offset passou a ser mais difundido e é o método de impressão de boa qualidade mais utilizado no mundo, sendo ideal para grandes quantidades de impressões.


O processo

  • Gravação da chapa
A chapa metálica utilizada na impressão offset é preparada de forma a se tornar fotossensível. As áreas que são protegidas da luz tornam-se lipófilas, atraindo gordura (grafismo), enquanto que as demais regiões se mantêm hidrófilas, atraindo água (contra-grafismo). 
Depois, um arquivo gerado no computador é transferido para um filme especial e é fixado à chapa, que por sua vez é exposta à luz. Esse processo é muito caro, o que explica o fato deste método ser utilizado em grandes tiragens, já que quanto maior o número de cópias, menor será o peso do valor da chapa no preço da unidade impressa. 
  • Montagem
A chapa, que é flexível, é montada na impressora offset em um cilindro. Cada chapa é usada para transferir uma cor. Por exemplo, no caso dos impressos coloridos são utilizadas quatro chapas (CMYK), uma de cada cor (Ciano / Magenta / Amarelo / Preto) que são suficientes para criar uma enorme gama de cores. Caso o trabalho possua cores especiais como tons fluorescentes ou tintas metálicas, é necessário que seja feita uma chapa para cada uma das cores especiais, o que encarece ainda mais o processo. Além disso, a impressora precisa também estar preparada para imprimir em série o número de cores necessário, ou seja, ter o número de tinteiros igual ou maior a quantidade de cores utilizada. Isto é importante para manter o registro entre as diferentes tintas. 
exemplo do funcionamento das cores no sistema CMYK
  • Impressão
Tanto nas impressoras onde o papel entra em bobina (rotativas), como nas impressoras que usam o papel cortado (planas), o sistema funciona de maneira rotativa. Uma série de cilindros conduzem tanto a tinta quanto o papel.
A impressão sempre é feita de forma indireta, o cilindro onde a matriz foi montada é mantido úmido por rolos umidificadores. A tinta também é transferida para este cilindro, como ela é de base gordurosa ela se concentra nas áreas de grafismo que atraem gordura e, ao mesmo tempo, a tinta é repelida pela água nas áreas de contra-grafismo do cilindro.
A tinta é transferida para um cilindro de borracha, cujo nome é blanqueta, que serve de intermediário para a impressão. Ele ajuda a manter o papel seco e ao mesmo tempo aumenta a sobrevida da matriz.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...